A Matemática no feminino

 

 

Maryam Mirzakhani falava apaixonadamente do seu trabalho, o estudo das propriedades geométricas e dinâmicas de superfícies curvas. Conceitos demasiado complexos para a maioria. 

Para se inspirar, começava por rabiscar enormes folhas de papel sem grande propósito. Apenas as fórmulas nas extremidades denunciavam a natureza do que fazia. Esta abordagem não convencional da Matemática deu início a uma nova era nesta disciplina com implicações para o mundo real, desde a criptografia (escrita codificada) à ciência de materiais (ramo que estuda as propriedades dos materiais). 

Mirzakhani foi a primeira mulher da história a receber uma Medalha Fields, o mais importante prémio na área da Matemática atribuído, de quatro em quatro anos, uma espécie de Nobel desta disciplina para “jovens” até aos quarenta anos. 

Quando era ainda uma criança a viver em Teerão, Maryam lia avidamente e aspirava ser escritora. Porém, na escola secundária, acabou por ser arrebatada pela Matemática e, com o incentivo de uma das suas professoras, tornou-se a primeira jovem iraniana a competir nas Olimpíadas Internacionais de Matemática, em 1994 e 1995, vencendo duas medalhas de ouro, a segunda com um resultado perfeito.

Em 1999, emigrou para os EUA, onde, na Universidade de Harvard, redigiu uma tese de doutoramento que abalou os círculos académicos, ao decifrar problemas matemáticos até então sem solução. Seguiu-se uma breve passagem como professora assistente na Universidade de Princeton, até se estabelecer como docente de Matemática na Universidade de Stanford. Os seus colegas descreviam-na de forma antagónica: humilde, mas extremamente ambiciosa; reservada e ao mesmo tempo afável.

Maryam Mirzakhani era conhecida pela sua grande dedicação à Matemática. Em 2017, faleceu vítima de cancro da mama, tinha apenas quarenta anos. Apesar da doença e da pressão vinda da exposição pública por ser a primeira mulher e a primeira iraniana a ser distinguida com a Medalha Fields, continuou a desenvolver investigação ao mais alto nível nos últimos anos da sua vida.

Em novembro de 2019, foi lançado um prémio na área da Matemática em sua homenagem, o prémio Maryam Mirzakhani New Frontiers Prize, para galardoar jovens universitárias que se destaquem do ponto de vista académico. Maryam Mirzakhani deixa um imenso legado teórico que estabelece as fundações para avanços científicos vindouros. A todos nós deixa um exemplo de entrega e de perseverança que inspirará as gerações presentes e futuras.