O fim…

 

O Fim, quem bem considera,
É, para ser bem honesto,
O acabar duma era,
Também pode ser um resto!

Pode ser uma final
Algo que nos acabou.
Qualquer coisa terminal,
História que terminou!

Qualquer assunto findando,
Algo dito que por fim,
É o último que estão dando,
Um limite dum festim!

Pode ser o resultado,
O não haver mais igual,
Algo que tenha acabado,
Ou mesmo o ponto final!
O fim, é sempre o termino,
Aquilo que a vista alcança,
O acabar dum destino,
Desilusão duma esperança!

O fim é qualquer final,
Um desânimo pela sorte,
É a ponta, o terminal,
Também pode ser a morte!

É disto que quero falar,
Da Morte, esta mistela,
Que anda no mundo a ceifar,
Ninguém sabe onde está Ela!

Hoje, há coisas tão fatais
Pondo as vidas transformadas
Com vírus e coisas mais.
Pelas ganâncias falhadas!
É uma coisa bem séria
O que se passa agora,
Com os povos na miséria,
Não falta quem os explora!

Nada tem com profissionais,
Nem médicos nem enfermeiros,
Estes são todos legais,
Professionais verdadeiros!

É assim que hoje se pensa,
À mercê de alguns traidores.
A mortandade é imensa,
Por faltar ventiladores!

Gritam d’afiada língua,
Muito doce a discursar.
E, milhares morrendo à míngua,
Por lhes faltarem o AR!
Faltam máscaras, faltam luvas,
Materais indispensáveis,
Perante uns “Manda Chuvas”
Que são pouco responsáveis!

Isto é o que eu sei dizer,
Muito há que não foi dito!
Mas, já podem entender,
Nas entre linhas escrito!

São uns erros bem fatais,
E as mortes… São aos milhares!

 

P.S.

Mas, também
somos culpados!


Há as pessoas culpadas,
Que penso, ser um atraso,
Não ouvem as ordens dadas,
Por quem é perito no caso!

Outros que pensam assim:
- Estou bom e saudável!
Nunca vai chegar a mim
“Isto o torna irresponsável!”

Não envolve ELE somente,
Sua opinião precária!
Contamina muita gente,
Numa acção desnecessária!

Não ouçam ninguém diferente,
Que haja compreensão.
Só quem é bem experiente
Seja senhor da razão.

E, tenham sempre cuidado,
Dum modo que satisfaça
Luvas, mascara, desviado,
Sempre de quem perto passa!

Se tudo assim for feito,
O mundo toma outro jeito!