Frank Ferreira sugere Casa Branca iluminada com as cores de Portugal e dos EUA no 10 de Junho

 

Frank Ferreira, cujo nome de batismo é Mário Francisco da Costa Ferreira,  é um português radicado nos Estados Unidos que gosta de intervir e que a comunidade portuguesa e luso-americana também intervenha. Recorrendo a cartas abertas publicadas na imprensa comunitária, Frank faz de quando em quando sugestões e o ano passado, por exemplo, sugeriu que a comunidade lusa escrevesse apoiando a atribuição do Prémio Nobel da Paz a António Guterres, secretário-geral da ONU. 
Desta vez, Ferreira decidiu escrever ao presidente dos Estados Unidos sugerindo que a Casa Branca se ilumine com o verde e encarnado da bandeira portuguesa celebrando o Dia de Portugal no 10 de junho. retribuindo o presidente de Portugal na sua residência oficial em Belém. E faz idêntica sugestão aos embaixadores dos dois países e ao secretário-geral da ONU.
Acrescente-se que Ferreira é especialista em Assuntos Públicos (Congresso e Diplomáticos). Trabalhou para o Departamento de Estado, colaborou na campanha presidencial de John Kerry em 2002 e foi gestor do pavilhão dos EUA na Feira Mundial da Expo 98 de Lisboa. Presentemente, colabora com o Bureau of Arms Control, Verification and Compliance (AVC), organismo que procura 
cooperação no controlo das armas de destruição em massa.
Aqui fica a carta aberta de Frank Ferreira:

Caros Presidentes Joe Biden e Marcelo Rebelo de Sousa, secretário-geral António Guterres, ilustres senhoras e senhores: 
Na minha vida há duas paixões – os meus gémeos – Ryan e Kyle – e a minha dupla cidadania – americana e portuguesa.
É com imenso orgulho e humildade que escrevo para lhe pedir que
seja ousado no próximo dia 10 de junho de 2022 – mais conhecido por muitos de nós, luso-americanos e portugueses, como Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas  – e comemore este dia especial de forma mais impactante e que seja mais colorido.
Este ano, além da tradicional emissão de uma resolução ou mensagem presidencial (um gesto muito gracioso e um ato de respeito para com um dos mais leais e antigos aliados das Américas) designando o dia 10 de junho de 2022 como Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas e estendendo o apreço do povo americano pelas contribuições dos cerca de 1,5 milhões de orgulhosos luso-americanos à nossa nação e celebrando a duradoura e robusta aliança transatlântica, peço com todo o respeito que as cores das bandeiras de ambas as nações sejam projetadas na fachada externa da Casa Branca durante o dia.
Embora haja precedência na projeção de uma variedade de cores para comemorar outras causas sociais importantes, como autismo e a conscientização sobre o cancro da mama no exterior da Casa Branca, segundo me lembro, não acho que haja algo celebrando a herança de um grupo étnico e certamente nada comemorando as relações diplomáticas com países aliados. 
Como tal, esta proposta/pedido não é apenas inédita, mas uma oportunidade única para manifestar a política externa de Biden-Harris para com os seus aliados.
Coincidentemente, Lisboa e Washington, acabam de nomear representantes diplomáticos para as respetivas capitais. 
Embaixadores Levine e Lopes os meus parabéns pelas vossas nomeações. Que os vossos esforços fortaleçam as atuais relações e laços entre nossos povos e países. Talvez eles também possam ser gentis o suficiente para projetar ambas as bandeiras nas suas embaixadas e compartilhar mensagens em nome dos líderes de ambos os países – ou melhor ainda – neste mundo de tecnologia moderna – ambos os presidentes podem estar inclinados a conetarem-se virtualmente – unidos pelos líderes de ambas as nações. embaixadores – para troca de observações públicas comemorativas desta ocasião.
Além disso, esse conceito pode ser um modelo a implementar pelos Estados Unidos para comemorar futuros dias nacionais especiais de aliados. 
Neste momento de conflito, não consigo pensar em maneira melhor e mais apropriada de empregar a diplomacia branda para fortalecer uma amizade já duradoura entre aliados estratégicos. 
Senhor Secretário-Geral, da mesma forma, pergunto por que não iniciar uma tradição semelhante nas Nações Unidas? Dado o seu papel estratégico e invejoso, talvez neste dia 10 de junho as cores das bandeiras da ONU e de Portugal adornem o exterior da icónica sede da comunidade mundial. Que reconhecimento notável da diáspora portuguesa global isso seria! Fico feliz em discutir e trabalhar com sua equipe na coordenação desta homenagem única. Informe seu interesse e confirme o recebimento desta carta.
Agradeço desde já a consideração desta modesta proposta.
Viva os Estados Unidos da América e viva Portugal!
Eu sou, Frank Ferreira / Mário Francisco da Costa Ferreira