Diocese de Fall River elabora lista de padres pedófilos

 

O bispo D. Edgar M. da Cunha, da Diocese de Fall River, escreveu uma carta aos paroquianos em janeiro passado, anunciando que a igreja tinha contratado um ex-agente do FBI para analisar alegações de abuso sexual contra menores desde a década de 1950.
O prelado adiantou que o plano era concluir a revisão até à primavera do ano passado e produzir uma lista de membros do clero acusados, seguindo o exemplo de um número crescente de dioceses, incluindo Providence.
“Gostaria que essa informação fosse disponibilizada mais cedo; no entanto, é preciso tempo e diligência para compilar uma lista precisa e completa ”, escreveu o bispo Cunha na época.
Avanço rápido de um ano e ainda não há lista. O porta-voz da diocese disse ao canal 12, de Providence, que a diocese continua comprometida com a produção da lista, mas não oferece um cronograma para a conclusão.
“O trabalho está em andamento com um acompanhamento dessa revisão externa para se preparar para a eventual publicação da lista”, disse o porta-voz da diocese John Kearns em comunicado. “É preciso tempo e diligência para compilar uma lista que seja precisa e completa.”
A Diocese de Providence divulgou em julho a sua lista de 50 padres e clérigos que, segundo eles, são “acusados ​​de maneira credível” de abuso sexual de menores desde os anos 50, revelando mais de uma dúzia de clérigos que nunca haviam sido acusados ​​publicamente no passado.
Em Fall River, o bispo Cunha disse inicialmente que não esperava que a lista da diocese incluísse muitas surpresas, acrescentando que a maioria dos nomes já havia sido relatada pela comunicação social.
Mas a revisão já produziu novas revelações. Em novembro, da Cunha anunciou que dois padres - o padre Richard Degagne e o padre Daniel Lacroix - foram colocados em licença administrativa devido a acusações de má conduta. A decisão foi baseada nas informações recolhidas durante a revisão. Os dois padres negaram a alegada má conduta.
Atualmente, existem 34 padres da diocese de Fall River acusados ​​e que figuram no Bishop-Accountability.org, um site que rastreia a crise de pedofilia em todas dioceses  do país usando documentos legais, depoimentos e relatos da mídia. Três dos clérigos listados foram condenados e outros dois resolveram reivindicações passadas no tribunal, segundo o site.