Livro de António Raposo a ser apresentado em New Bedford

 

Hagan, o doente da bola – Memórias desportivas

livro de António Raposo a ser apresentado em New Bedford em novembro

 

“Hagan o doente da bola - Memórias Desportivas” é o novo livro de António Raposo, que será apresentado dia 11 de novembro, pelas 7:00 da noite, no New Bedford Sports Club.

António Raposo, médico fisiatra e especialista em medicina desportiva, conhecido por Hagan, alcunha que lhe colocaram por ser um adepto fervoroso dos métodos de Jimmy Hagan, treinador do Benfica nos anos 70, nasceu na Salga, concelho do Nordeste, São Miguel.

Filho de uma família modesta, saiu de casa com 10 anos para estudar em Ponta Delgada. Foi para Lisboa  para a Universidade.

Este livro de memórias desportivas é uma viagem entre a saúde dada por uma vida de prática clínica e a doença que é, para muitos, o futebol. Praticante de futebol federado durante 20 anos e treinador/jogador da equipa de Veteranos do Nordeste já há 23 anos, descreve mais que um relato da convivência entre duas paixões – o futebol e a medicina -, e oferece uma narrativa, tão pungente quanto cicatrizante, de uma vida feita total por amizades, família, carreira e incontáveis venturas, em que a constante que tudo conecta e a tudo confere o sentido é o desporto, em especial o futebol.

Médico de diversos clubes, por mais de 30 anos, chegou a médico do Estoril Praia, foi campeão nacional da segunda Liga pelo Santa Clara, foi médico oficial de um campeonato do mundo de atletismo adaptado - trissomia 21 -, médico da seleção dos Açores nos Jogos das Ilhas e da seleção dos Açores de futebol.

O seu protagonista jogou futebol de rua, popular, no Inatel, federado, futebol de salão, futsal, futebol de cinco e de sete, e até futebol com bexiga de porco - apenas não jogou futebol de praia e futebol americano. Fundou a equipa da sua terra natal “Os Bebés da Salga”, e também os Veteranos do Nordeste. Jogou em equipas de S. Miguel, Terceira, Faial, Lisboa, Estados Unidos e Brasil.

Descreve vários momentos de glória na sua carreira, como a sua estreia nos seniores do União do Nordeste, com a obtenção de 3 golos ou o golo que marcou à Académica de Coimbra na sua despedida do CDUL no Estádio Universitário de Lisboa. Fez a sua despedida de jogador em jogo nos Estados Unidos.

Fez uma festa em que “pendurou” as botas, literalmente. Histórias de inspeções médicas, de jogadores, treinadores, jogos, sucessos e insucessos. De lesões, recuperações, trabalhos e conferências.

Conta histórias passadas na sua terra natal, ainda na Escola Primária, e outras em ambientes tais como no Estádio da Luz, como adepto e como participante direto no jogo, ou nos Estádios de Alvalade, Dragão, Maracanã, Morumbi, Santiago Barnabéu e Camp Nou. Assistiu a um momento único no futebol mundial, com a prisão de um jogador em pleno jogo. Julga ter o record mundial de substituições durante um jogo de futebol.

Descreve como foi o único árbitro do mundo que marcou um penalty roubado. Com muito tenra idade participou em experiência sobre alterações das regras do fora de jogo no futebol. De jovem de uma aldeia rural que saiu para estudar para a cidade, até ser palestrante numa conferência médica de medicina desportiva em Barcelona, descreve uma série de episódios interessantes, muitos deles com humor e outros com um grande sentimento de orgulho e sempre com os Açores em primeiro lugar.

Em Jornadas de Medicina Desportiva nos Açores homenageou o médico que o inspecionou pela primeira vez aos 15 anos e, noutro momento, um seu amigo que foi o único jogador do seu concelho do Nordeste que jogou na primeira divisão nacional. Este livro contém, nas suas páginas, uma vida cheia de histórias e de episódios marcantes, publicados no dia dos seus 60 anos.