Política animalesca!... Os cargos mais importantes!...


Ao olhar p’ rá minha gata,
Sem eu querer fazer crítica,
Do modo qu’ ela é tão chata
Dava bem para a política!

Mas, depois eu pensei mais,
Matutei dum modo terno
Quais seriam os animais
P’ ra formar um bom governo?!...

Matutando... matutando
Em toda a bicharada,
Um por um me foi lembrando,
Fiz uma ideia formada!

E logo me veio à mente
Qual seria o animal
Que daria um presidente,
Um corta fitas real!

E pensei logo: O Peru!
Uma Ave aprumada,
Mas que, só faz glu... glu...
Do resto, não faz mais nada!...

E o Peru é indicado
Como os governos na vida,
Quando algo sai errado,
Fica de crista caída!...

P’ ra primeiro ministro, então
Não era fácil  escolher,
E andei em confusão
Para o caso resolver!

E fui bem até ao centro,
Procurar na bicharada,
Um que coçasse p’ ra dentro,
Sem p’ra fora deitar nada!...

E lá rente a um buraco,
Eu olhei, assim a esmo,
Dei de vista num Macaco,
E disse: vai ser tu mesmo!...

Ele ainda reclamou:
Vê se outro tu terminas,
Olha, o tempo já passou,
Acabaram-se as propinas!...

Mas, ele estava escolhido
Não podia mais negar.
Foi no governo metido,
E vai ter que governar!

E, p’ró governo formar,
Com toda a formação,
Pensei, onde vou buscar
Ministro de educação?!...

É um ministro importante,
E pensei mais a preceito,
Quem sabe o elefante?
Não!...porque a tromba não dá jeito!

E preguei na testa um murro,
Por me ter chegado à mente,
A ideia de que um burro
Seja o mais competente!

Foi o jumento escolhido,
Ministro da educação,
Porque ele, no seu partido,
Tem sido o diapasão!...

Vamos agora à saúde,
Quem vai ter o ministério,
Vai ter tamanha virtude,
Dum lugar bastante sério?

E como fosse um destino
O que a ninguém ilude,
Foi escolhido um suíno,
P’ ra ministro da saúde!...

O porco, foi escolhido,
Com muita perícia e arte
Porque tem sempre metido
O nariz em toda a parte!

Ministro dos estrangeiros,
Há que ter muita atenção,
Não lida com os dinheiros,
Mas tem bem séria função!

É uma alerta constante,
Saber como controlar,
Ser por vezes irritante,
Outras ter que agradar!

E daí vem a razão,
Ser o melhor escolhido
Para ministro, é o Cão,
O que forma mais sentido!...

O Cão ladra, se preciso,
Lambe o dono. quando quer,
Sempre alerta e como aviso
Mostra o p’rigo sem se ver!..

P’ rá nova Cultura d’ oiro,
Que dá toda a liberdade,
Será o ministro um Touro,
Todos vivem à vontade.

Não causa nenhum transtorno,
Nem vai ofender ninguém
A ninguém chamarão corno,
Cornos, o Touro já  tem!

P’ rá Pasta da Economia,
Será escolhido um Gato,
Come pouco todo o dia,
Não precisa muito trato!

O Gato, traz muito ganho,
Por  a água ser à mingua,
Já ninguém tomará banho,
Vão se lavar com a língua!...

P’ ró ministério do trabalho,
Não falta p’raí quem diga 
Quem pode quebrar o galho,
Terá de ser a Formiga!

Labuta por toda a vida,
Sozinha, ninguém lhe acode,
Guardando sempre a comida, 
Para quando ela não pode!...

P’ ró ministério interior,
Um escolher bem exato,
Eu não encontro melhor
Na escolha do que o Rato!

O Rato, com todos fracos,
Este lugar bem merece
Vasculha todos buracos,
Se o gato não aparece!

Agora, a Agricultura,
Recebi muito conselho
Mas, ao ver tanta verdura,
Lembrou-me logo o Coelho!

E assim foi preparado,
Um por um, em seu lugar.
O governo está formado,
Agora, é governar!...

 


E fiquei 
boquiaberto,
Quem sabe 
se dará certo!...