Basta saber com quem andas, posso bem ver quem tu és! Quem enfia a carapuça?!…


Senhores...

Ao ver-te por estas bandas,
Aonde tu pões os pés
E olhando com quem andas,
Posso bem ver quem tu és!...

O teu rosto milagroso,
Nada mostra de verdade,
Esconde um fundo maldoso,
Com viseira de bondade!

Mostras ser um bom cristão,
Por vezes pareces santo
Usando a religião
P’ ra te cobrir com seu manto!

Tu és um ser amoroso,
Todos por Deus abençoas.
Com teu deus misterioso
É qu’ enganas as pessoas!...

Tens  um deus desconhecido
 E não o Deus da verdade
O teu deus, foi escolhido
Perante a tua maldade!

Eu sei bem  porquê Senhor
Permites um tal pecado?!...
Porque não és  ditador
E o Livre Arbítrio foi dado!...

Quem o livre arbítrio tem,
Deus não nos dá, depois tira!
Dar e tirar a alguém
Quem o faz, cai na mentira!...

Mas, não é caso perdido!
No mundo há tantos ateus
Que se têm arrependido,
Juntos ao verdadeiro Deus!...

Como ovelha tresmalhada,
Quem faz prece em oração
Com a verdade estampada,
Deus não lhes nega o perdão!...   

Claro que, nunca esquecer
Os teus deveres bem legais,
Porque  a Deus  vais prometer
Não  tornares a pecar mais!...

Ser livre, não admite
Fazer o que dá na gana,
Liberdade, tem limite!
E a Deus, ninguém engana!...

Sempre qu’ a roda desandas,
Pode seguir-te algo errado.
Quando tu julgas que mandas,
Podes ser um pau mandado!...

Confesso, não te conheço,
Nem d’ agora ou do passado,
Mas um conselho te ofereço:
Evita o caminho errado!

Pois quem anda numa treva,
Seja velho ou seja  moço
Este caminho te leva
Até ao fundo do poço!...

Foge depressa, com vontade,
Luta, não sejas cobarde,
Junta-te à  sociedade,
Ou então irá ser tarde!...

E se puderes, com carinho,
E vejas que não há perigos,
Traz contigo, ao bom caminho,
Todos os teus bons amigos.
 
Com esta resolução,
A força é mais tamanha,
Mais livre da tentação,
Dos amigos que acompanha!...
                   *
E tu, moça ainda nova,
Como ovelha tresmalhada,
Na ânsia de teres a prova,
Numa idade ainda errada.

Tenho o nome de antiquado,
Mas, quem tem falta de nexo,
Veja bem o resultado,
Da liberdade do sexo?!

As doenças transmissíveis,
Que alguma até nos mata,
Com sofrimentos terríveis
Sem curas, na nossa  data!...

E daí, os empecilhos,
A desgraça é imensa,
Vai cair sobre os seus filhos,
Que nascem com a doença!...

São doenças bem precárias,
Trazem muitas confusões,
Porque são hereditárias
Através das gerações!...

Melhor será, certamente,
Para evitar arrelias,
Viver dum modo decente
Entre boas companhias!...

Pode o mal ser emendado,
A emenda modifica.
Ficas de tudo ilibado
Mas, a nódoa, sempre fica!...

 

 

P. S.
As companhias...


Ouçam vocês com carinho:
Ter um amigo errado,
Mais vale viver sozinho,
Do que mal acompanhado!...

Porque as más companhias,
É como um dia escuro,
Entre muitas arrelias
E um provir sem futuro!...

Mas, se estais interessado,
Por alguém qu’ anda em revés
Traz-lhe tu para o teu lado,
E faz dele o que tu és!...

Mas olha, é necessário,
Ter ideia decidida,
Ás vezes, sai ao contrário
Dão a volta p’ rá má vida!...

 


E depois, 
duma asneira,
Custa é fazer 
a primeira!...