Carlos Cordeiro é o novo presidente da Federação de Futebol dos EUA

 

O luso-descendente Carlos Cordeiro foi eleito presidente da Federação Norte-americana de Futebol (USSF), durante a assembleia-geral do organismo que teve lugar em Orlando, na Florida.

Filho de mãe colombiana e pai português (Pedrito de Sousa Cordeiro), Carlos Cordeiro nasceu em 1956 e emigrou aos 15 anos da Índia para os EUA, com a sua mãe viúva e os três irmãos. Tornou-se cidadão norte-americano 10 anos depois.

No acto eleitoral mais participado desde 1998, Cordeiro derrotou outros sete candidatos e tornou-se no 32º presidente da US Soccer, sucedendo a Sunil Gulati, ao conquistar 68,6% dos votos na terceira volta, superando Kathy Carter (10,6%), antiga guarda-redes da seleção e ainda outra antiga guarda-redes, Hope Solo (1.4%).

Nas anteriores votações, em que foram eliminados Paul Caligiuri, na primeira, e Michael Winograd e Steve Gan, na segunda, o luso-descendente foi igualmente o mais votado.

Cordeiro vai presidir à US Soccer até 2022, depois de ter desempenhado vários cargos no organismo, como primeiro director independente desde 2007 e vice-presidente desde 2016. Foi ainda tesoureiro e responsável pelas finanças da fundação US Soccer, além de representar o organismo na CONCACAF e na FIFA.

Aos 61 anos, Carlos Cordeiro é um ex-executivo da Goldman Sachs e era o adjunto de Sunil Galati, que liderou os destinos da US Soccer desde 2006 e resolveu não voltar a candidatar-se.

Empresário com mais de 30 anos de experiência no mundo financeiro internacional, integrou o banco de investimentos Goldman Sachs em 1990, tendo sido, mais tarde, designado vice-presidente para a Ásia.

Entre outras actividades, foi conselheiro de Nelson Mandela no período pós-Apartheid, na África do Sul, e de várias entidades financeiras, como o Banco Mundial.

A vitória de Carlos Cordeiro traduz-se num duro golpe para quem pedia mudanças radicais no corpo diretivo do futebol dos EUA, depois do fracasso da seleção no apuramento para o Mundial 2018, na Rússia. Os antigos futebolistas Eric Wynalda, Kyle Martino, Paul Caligiuri e a conhecida Hope Solo integravam esse lote. Também a Major League Soccer, competição de futebol mais importante dos EUA sai ‘derrotada’ nestas eleições já que apoiou Kathy Carter durante o período eleitoral, por se tratar de aliado comercial pelo cargo já referido cargo da antiga futebolista.

Carlos Cordeiro era membro da direção da federação dos Estados Unidos desde 2007 e subiu à vice- presidência em 2016. Representa ainda aquela federação no Conselho da Concacaf e no Comité da FIFA e deu a ideia para se criar um novo departamento técnico para supervisionar as ligas de futebol, incluindo contratação de treinadores.

Entre as medidas já anunciadas por Cordeiro conta-se também a contratação de um membro independente para supervisionar a realização de futuros contratos comerciais e aumentar as escolas de futebol de formação nos EUA.

Carlos Cordeiro será agora uma das caras da candidatura tripartida ao Mundial de 2026, no qual os EUA se uniram ao Canadá e México.