Romeiros, peregrinos da saudade

 

Romaria da Nova Inglaterra abre ciclo das caminhadas de oração a 24 de março. Seguem-se Taunton, New Bedford, Pawtucket, Bristol e Fall River

 

• Fotos e texto de Augusto Pessoa

 

Depois das festas do carnaval faz-se um interregno nas diversões mais efusivas. Entrou-se na Quaresma. Período que deve ser de mais recolhimento e oração. E aqui existem os crentes e os menos crentes ou mesmo aqueles que dizem que nada crêem, mas que no fundo são do tipo dos que só se lembram de Santa Bárbara quando troveja.

As tradicionais romarias quaresmais vão uma vez mais percorrer os caminhos da diáspora, a mais fidedigna presença de uma identidade e de uma tradição de gente que por escolha se radicou em terras de outros mundos.

E entre estas tradições surgem as romarias quaresmais, jornadas de oração por um mundo cada vez mais atribulado e pondo em causa os valores religiosos.

Estranho para quem desconhece a tradição. Saudável para quem foi criado a ver passar os romeiros e pode reviver ou mesmo tomar parte na romaria por terras dos EUA.

 

A comunidade de Taunton tem a romaria a 1 de abril

João Medeiros, natural do Livramento, com 22 anos de romarias iniciadas aos 9 anos na terra natal, foi mestre no Rosário da Lagoa. Com 14 anos de mestre, desde 2001 que desem­penha aquelas funções nas romarias de Taunton, junto da igreja de Santo António, numa cidade de reconhecida comunidade portuguesa.

A romaria quaresmal em Taunton tem lugar a 1 de abril (sábado), com con­centração no salão paro­quial da igreja de Santo António pelas 6:00 da manhã. Após a concen­tração, o mestre acompanha o beijar da cruz ao mesmo tempo que vão sendo conta­dos os irmãos que vão tomar parte na romaria.

Após os irmãos serem recebidos na igreja de Santo António,  tem início a roma­ria, pelas 7:00 da manhã.

A igreja da Sagrada Família (East Taunton) deverá ser visitada pelas 9:45. Pelas 11:45 a romaria deve passar pela igreja da Anunciação. Ao bater da 1:00 da tarde o grupo deverá visitar a igreja de Santo André, onde será servido um almoço rápido.

No prosseguimento da romagem de oração, a igreja de São Judas deverá ser visitada pelas 3:30.

E de rosário na mão des­dilhando Avé-Marias, os romeiros chegam pelas 5:30, precisamente à igreja de Nossa Senhora do Rosá­rio. E na longa caminhada de oração e tradição a romaria chega à igreja de Santa Maria pelas 6:20.

E já na parte final, pelas 7:00 da noite os romeiros chegam à igreja de Santo António em Taunton.

 

New Bedford revive a romaria a 8 de abril (Sábado de Ramos)

As romarias quaresmais em New Bedford, cidade piscatória de grande percentagem portuguesa, têm este ano lugar a 28 de março.

Esta manifestação da religiosidade das nossas gentes teve inicio em 1996 junto da igreja do Monte Carmo pela mão de Tobias Baptista quando ali prestou serviço o padre Henrique Arruda.

A romaria de New Bedford saia anualmente, alternando entre as igrejas de São João Baptista (mestre António Faria), igreja do Monte Carmo (mestre Tobias Baptista) e Imaculada Conceição (mestre António Pacheco). Com o encerramento da igreja de São João, as romarias passaram a alternar entre O Monte Carmo e a igreja da Imaculada Conceição.

Este ano é precisamente este pilar da religiosidade das gentes do sul da cidade de New Bedford que acolhe as orações iniciais da romaria, pelas 6:15 com missa a celebrar pelas 7:00 da manhã.

O mestre Tobias Batista trouxe consigo na bagagem das recordações, para terras de outros usos e costumes, mas onde se dá espaço para as iniciativas étnicas.

Após o terço pelas 6:15 e missa pelas 7:00 a romaria deixa a igreja do Carmo, pelas 8:00. Ao bater das 8:10 a romaria fará uma paragem na igreja de Santiago.

Pelas 8:45 surge a igreja de Nossa Senhora da Assunção. E prosseguindo a romagem, surge pelas 9:10 a capela de Nossa Senhora da Conceição. Pelas 9:45 os romeiros fazem uma paragem na igreja de Saint Lawrence. Ao bater das 10:30 a romaria deverá ter pela frente a igreja de Nossa Senhora do Purgatório. E a romaria na sua jornada de oração deixa o sul de New Bedford e entra no norte, com a primeira paragem na igreja de Santo António pelas 11:40.

Pelas 12:15 percorrendo o norte da cidade de New Bedford, o grupo faz uma paragem na igreja da Imaculada Conceição onde os romeiros terão direito a almoço.

E mantendo a jornada de oração pelas 1:50 o grupo está na igreja de São José.

Por sua vez a igreja de Santa Maria, será visitada pelas 2:35 e a igreja de Santo Killans pelas 3:35. Um pouco mais afastada fica a igreja do Holly Name pelas 5:00.

E já no decorrer das últimas paragens do dia, temos pelas 5:45 a igreja de São Francisco de Assis. O regresso à igreja do Monte Carmo, está prevista para as 6:30 com missa a ser celebrada pelas 7:00 da tarde.

 

 

 

Romaria de Pawtucket a 9 de abril (Domingo de Ramos)

Fundada no ano de 1996 por iniciativa de José Pimentel, natural da Ribeira Grande e radicado em North Providence, a ro­maria de Pawtucket está ligada à igreja de Santo António.

Com uma adesão cres­cente dos 75 romeiros iniciais, já ultrapassam os 100 nas romarias mais recentes e tudo leva a crer que este número cresça ainda mais.

Era na altura John Baker, padre da igreja de Santo António que embora nas­cidos nos EUA acolheu a romaria, após se ter certi­ficado do significado da­quela tradição.

A ideia de José Pimentel, surge pelo conhecimento das romarias em São Mi­guel e ao saber, através de familiares, do seu inicio no Canadá.

Aderiram à ideia de José Pimentel, Fernando Faria (já falecido) natural do Pilar, Bretanha e que seria o primeiro mestre. Rogério Oliveira, contra mestre, Albano Carvalho que procedia às orações, natural da Varzea, Ginetes,

António Leitão, pro­curador das almas, António Andrade e Clemente Anastácio.

Após o falecimento de Fernando Faria, passa a mestre Albano Carvalho que se tinha iniciado aos 7 anos na Varzea, Ginetes, e António Leitão, a contra mestre. José Pimentel, António Andrade e Cle­mente Anastácio, mantêm a coordenação da romaria.

Por sua vez Fábio Car­valho e Niveryo Carvalho e ainda Jorge Pacheco, são os ajudantes do mestre nas orações.

A concentração dos romeiros no salão padre Fernando Freitas será pelas 5:00 da manhã. Pelas 5:30 os romeiros partem para a igreja de Santo António, onde são esperados pelo padre José Rocha, que procede à bênção dos caminhantes.

A saída da igreja de Santo António, para a romaria tem inicio pelas 6:00 da manhã.

Ao bater das 6:30 os romeiros visitam a igreja de Santo Eduardo, no decorrer da sua caminhada de oração.

A igreja de São João Batista será a terceira a visitar, o que deverá acontecer pelas 7:00 da manhã.

Segue-se a igreja de Santa Maria, pelas 7:30. Como curiosidade, foi nesta igreja que se celebrou missa em português, antes da construção da igreja de Santo António.

Daqui os romeiros, descem a rua, atravessam a ponte sobre o Blackstone River e dão entrada no parque de estacionamento do clube Social Português onde será oferecido um pequeno almoço.

Após esta paragem a romaria parte na direção do cemitério de Santa Maria onde deverá chegar pelas 10:00.

Após as cerimónias no cemitério inicia-se a caminhada de regresso à igreja de Santo António, onde será celebrada missa pelas 12:00 horas.

Findas as cerimónias os romeiros dirigem ao salão paroquial para a refeiçã econvivio.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                              

 

Romaria de Bristol a 9 de abril (Domingo de Ramos)

Com mais de 20 anos de existência a romaria de Bristol é mais uma enquadrada no contexto das celebrações quaresmais.

Com a caracteristica de ter a sua realização na mais típica vila de Rhode Island, empresta todo o seu tipicismo ao reviver de uma tradição num quadro de ruas estreitas semelhantes a uma freguesia

açoriana.

O responsável pela romaria  é Luís Silva. O mestre é Alvaro Rego da Conceição, Ribeira Grande, que tomou parte nas romarias em São Miguel.

Fazem ainda parte do grupo responsável Manuel Tavares, Fernando Brum e Manuel Hilário. Na qualidade de mestres da romaria, por lá passaram, José Ferreira e António Medeiros, já falecidos.

A concentração terá lugar pelas 6:00 da manhã no salão paroquial da igreja de Santa Isabel, após o que se seguem as cerimónias que antecedem a romaria, que terá inicio pelas 7:00 da manhã.

Depois de os romeiros terem deixado a igreja de Santa Isabel, fazem a primeira paragem na igreja de Santa Maria (8:00) ao que se segue a igreja do Monte Carmo ( 9:15), Columbus Fathers (10:30) Santa Maria (11:00) regresso à igreja de Santa Isabel (12:00).

 

 

Romeiros de Fall River saiem à rua em Sexta Feira Santa 14 de abril com mais de 30 anos de romarias

 

• Serão mais de 300 irmãos a desfilar pela velha cidade dos teares

 

A comunidade portuguesa de Fall River tem sido palco de grandes iniciativas de caráter sócio cultural. Não é por acaso que é apelidada de “capital dos portugueses nos EUA”.

Desde as Grandes Festas do Divino Espírito Santo da Nova Inglaterra a movimentar mais de 200 mil pessoas, passando pelas festas do Senhor Santo Cristo, São Miguel, Espírito Santo, festejando os seus padroeiros, com grandes manifestações de fé, temos a juntar a este calendário a maior romaria da Nova Inglaterra com cerca de 300 romeiros.

“Esta iniciativa partiu de José Simões ( natural da Ajuda,  Bretanha e António Medeiros ( Santa Bárbara, Ponta Delgada ) já falecidos, quando em 1984 organizaram o primeiro rancho de romeiros.

Após o falecimento dos dois fundadores, assumem o cargo de mestre, António Faria (Santo António Além Capelas)

e Eduardo Ferreira (Ajuda, Bretanha”, sublinhou o coordenador da romaria João  Jacob, natural dos Remédios, Bretanha.

A concentração dos romeiros será pelas 6:15 da manhã no salão paroquial após o que se dirigem à igreja do Espírito Santo para as cerimónias que antecedem a saída da longa caminhada, que terá inicio às 7:00 da manhã.

Entre o arrastar das Avé Marias a romaria estará na igreja de Santo António pelas 7:45. A igreja do Santo Nome já um pouco mais afastada recebe os romeiros pelas 9:00 da manhã de Sexta Feira Santa.

Com mais uma hora de caminhada o grupo de oração chega à igreja de São Miguel, um marco de relevo da comunidade lusa em Fall River) onde lhe será servido um almoço rápido.

Após esta paragem os romeiros dirigem-se à igreja de São José, onde deverão chegar pelas 11:00 da manhã.

Com mais um hora e quinze minutos de caminho, os romeiros entram na zona histórica da Columbia Street e entram na igreja do Santo Cristo o terceiro marco histórico da presença católica em Fall River.

Subindo a Columbia St os romeiros visitam a Catedral de Santa Maria pela 1:30 da tarde.

Percorrendo a Main St a romaria mantém a sua caminhada entre presenças portuguesas até que chega à igreja de Sant’Anne pelas 2:15 da tarde.

Mais uma hora entre orações e pedidos encomendados de Avé Marias e ao bater das 3:15 a romaria visita a igreja do Bom Pastor.

E já na direção do ponto de partida surge a igreja da Santíssima Trindade pelas 5:30 da tarde.

E já na parte final da romaria o regresso à igreja do Espírito Santo

acontece pelas 6:15 da tarde, após  que se segue o período de orações.

Os romeiros tomam parte no Enterro do Senhor pelas 8:00 em volta das ruas circunvizinhas da igreja. A procissão será acompanhada pela banda de Nossa Senhora da Conceição Mosteirense.

 

 

 

 

Romaria da Nova Inglaterra

 

1.º dia, Sábado, Março 25

5:00 - St Bernard Church

6:00 - Igreja Imaculada Conceição, NB

 

2.º dia, Domingo, Março 26

5:00 - Igreja Santo António de Pádua, NB
6:00 - St. Julie Billiart Dart.

 

3.º dia, Segunda-Feira, Março 27

7:00 - St. George West

6:00 - Holy Trinity National Catholic Church F.R.

 

4.º Dia, Terça-Feira, Março 28
6:00 - Good Shepard F.R.
 
6:00 - St John of God Som.

 

5.º Dia, Quarta-Feira, Março 29

5:45 St Francis of Assisi Swan.
4:45 Our Lady Queen of Martyr

 

6.º Dia, Quinta-Feira, Março 30

7:00 St Theresa de Jesus

5:00 - La Sallete Shrine
 

7.º Dia, Sexta-Feira, Março 31

6:45 St May Nort

6:00 St Anthony Taunton

 

8.º Dia, Sábado, 1 de Abril

6:30 St Ann Ray

3:30 Saint Bernard Assonet

 

 

 

Romeiros de New Bedford

Mestre Tobias Baptista

Contra mestre Alfredo

Procurador das almas Manuel Sousa

Guia Artur Matos

 

Itinerário

6:00 AM — Concentração no salão da igreja do Monte Carmo

7:00 AM — Missa com a presença dos romeiros

8:00 AM — Início da romaria

8:10 AM — Igreja de São Tiago

9:00 AM — Igreja de Nossa Senhora da Assunção

9:15 AM — Our Lady Chapel

10:00 AM — Igreja de São Lourenço (pequeno almoço)

11:00 AM — Igreja Perpetual Help

11:30 AM — Igreja de Santo António

12:00 PM — Igreja da Imaculada Conceição (almoço)

1:30 PM — Igreja de São José

2:00 PM — Igreja de Santa Maria

2:30 PM — Igreja de Santo Aquilino

3:15 PM — Igreja do Santo Nome

5:00 PM — Cemitério de São João

7:00 PM — Igreja do Monte Carmo

(Missa celebrada com a presença dos

romeiros)

 

 

 

Romeiros de Pawtucket

 

Fundador : José Pimentel

Mestre : Albano Carvalho

Procurador das almas : António Leitão

Coordenadores, Clemente Anastácio, António Andrade

 

Itinerário

5:00 AM — Concentração no salão Padre Fernando Freitas da igreja de Santo António

6:00 AM — Saída da igreja de Santo António,

6:30 AM — Visita à igreja de Santo Eduardo,

7:00 AM — Visita à igreja São João Batista

7:30 AM — Visita à igreja de Santa Maria.

(Onde se celebrou missa em português, antes da construção da igreja de Santo António).

8:00 AM — Clube Social Português

(pequeno almoço e descanso)

10:00 AM — Cemitério de Santa Maria

(Cerimónias em honra dos paroquianos

já falecidos e aí sepultados)

11:30 AM — Igreja de Santo António

12:00 AM — Missa celebrada pelo padre J. Rocha

1:00 PM — Almoço e convívio com os romeiros

 

 

 

Romeiros de Bristol

Domingo de Ramos

 

Fundador/responsável: Luís Silva

Mestre: Álvaro Rego

 

Itinerário

 

6:00 AM — Concentração no salão paroquial da igreja de Santa Isabel.

7:00 AM — Cerimónias que antecedem a romaria na igreja de Santa Isabel

8:00 AM — Igreja de Santa Maria

9:15 AM — Igreja do Monte Carmo

10:30 AM — Columbus Fathers

11:00 AM — Santa Maria

12:00 PM — Regresso à igreja de Santa Isabel

 

 

 

Romeiros de Fall River

Sexta feira Santa

 

Mestre: António Faria

Contra-mestre: Eduardo Ferreira

Procurador das Almas: Manuel Sousa

Guia: João Jacob

Coordenador: João Jacob

 

 

Itinerário

 

6:00 AM — Concentração no salão da igreja do Espírito Santo

6:30 AM — Cerimónias na igreja do Espírito Santo

7:00 AM — Início da romaria

7:45 AM — Igreja de Santo António

9:00 AM — Igreja do Santo Nome

10:00 AM — Igreja de São Miguel

(almoço rápido)

11:00 AM — Igreja de São José

12:15 PM — Igreja do Santo Cristo

1:30 PM — Catedral de Santa Maria

2:15 PM — Igreja de Sant’Anne

3:15 PM — Igreja do Bom Pastor

5:30 PM — Igreja da Santíssima Trindade

6:15 PM — Igreja do Espírito Santo

8:00 PM — Enterro do Senhor na igreja do Espírito Santo

 

 

 

 

Perspectiva histórica dos romeiros

de São Miguel

“Na ilha de São Miguel a tradição das romarias quares­mais data de tempos remotos. Há cerca de 500 anos, em 1522, um violento sismo arrasou por completo a então capital Vila Franca do Campo. Ao longo do século XVI a ilha continuou a ser palco de violentos sismos e erupções vulcânicas.

A erupção do Pico do Sapateiro em 25 de Junho e 2 de Julho de 1523 originava que ness altura fosse cons­truída uma ermida devota a Nossa Senhora. Desde logo para ali se encaminharam populares de toda a ilha em romaria processional implo­rando pela sua vida.

Se por um lado os cata­clismos naturais ajudaram a despertar uma espirituali­dade profunda, principal­mente manifestada no culto do Senhor Santo Cristo dos Milagres e romarias de São Miguel.

Entre 1527 e 1631 a ilha de São Miguel foi assolada por uma peste mortífera. Por este altura grupo de homens na maioria lavradores inciaram as romarias sacrificiais que evoluiram para os romeiros de São Miguel. Os romeiros foram proibidos de entrar em São Miguel e outras loca­lidades pelo facto de haver receio na contaminação da peste que originou muitas mortes.

Houve outras tentativas para acabar com as romarias. Durante a implantação da primeira República, fruto do seu sentimento anti-clerical. Mais tarde a ditadura de Salazar também colocou entraves às romarias pelo facto de inspirar à demo­cracia”, disse Pedro Mota Machado aquando do lança­mento do livro “A Irmandade dos Romeiros, na Casa dos Açores da Nova Inglaterra, em março de 2007.

“No seio de um rancho de romeiros as suas directrizes são mais orientações do que ordens. E a escolha do Mestre é fruto de eleição entre todos os elementos do rancho.

Na estrada os romeiros são um só. Todos se confundem nos seus trajes de penitência. A mesma roupa escura, o mesmo lenço, o mesmo xaile. Através das suas insignias os romeiros são simbo­licamente ligados à via sacra que nos recorda os últimos instantes de Cristo na terra e então o xaile simboliza o manto colocado pelos roma­nos nos ombros de Jesus. O bordão é uma réplica do ceptro cana colocado nas suas mãos. A cevadeira representa a cruz transpor­tada por Jesus. O lenço é o símbolo da coroa de espinhos que foi infligida a Jesus Cristo”, prossegue Mota Machado, que deixa transpa­recer o entusiasmo do traba­lho apresentado.

“Não deixa de ter a sua curiosidade o facto de as orações serem dirigidas à Virgem Maria quando toda a sua simbologia é cristo­lógica. Talvez seja uma forma de buscar a compaixão maternal e caridosa de Vir­gem Maria como mediadora para atingir Cristo. São usados dois terços de contas que podem ser de madeira mas o tradicional é serem confeccionados com se­mentes de conteira. Os bor­dões só entram na igreja no momento da partida.

Depois nas visitas aos templos de devoção à Virgem os bordões ficam espraiados no adro da igreja sem se cruzarem. Da mesma forma que existe um cuidado muito especial para os ranchos de romeiros não se cruzarem. Em caso de haver encontro os romeiros dos ranchos vão beijar o Cristo do outro rancho.

Os xailes são escuros e os lenços enramados e são a única protecção para a cabeça em caso de chuva ou sol forte. Às costas vai a cevadeira. Saco de pano para pendurar aos ombros onde vai o farnel, roupas e artigos de higiene”.